Só falta você!

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Dizer O Que Não É Dito





Eu sempre tive dificuldades para me adaptar à este mundo, incluindo tudo no que diz respeito ao convívio. Desde que me dou por gente questiono as coisas que estão ao meu redor, sejam as coisas que já existem há um bom tempo ou coisas que surgem junto à minha geração. Ouço as pessoas falando que "...as coisas são assim mesmo", não consigo compreender o que faz uma pessoa pensar de tal forma!? Não faz sentido nenhum! Como é que as coisas podem ser de alguma forma, se somos nós que fazemos as coisas!?

Nunca me senti à vontade para viver, como aquela sensação de estar fora de sua casa, num lugar estranho. Esta impressão que sinto é devido ao que observo nas pessoas, vejo elas vivendo tranquilamente adaptadas ao que é imposto ao longo do tempo. Então não sinto a mesma "tranquilidade" ao viver, as custas das imposições alheias. Além disso, parece que as pessoas nascem com alguns atributos ou os adquirem facilmente sabendo onde encontrá-los, enquanto eu não sei de nada dessas coisas. Tais atributos englobam atitudes pré-definidas para cada situação, maneiras aceitáveis de pensar, limites de pensar, falar e agir e etc... É como se existisse um "manual da vida do homem", do qual eu não tenho acesso e não sei como encontrá-lo.

Por essas razões, eu não consigo me adaptar ao mundo, não sei exatamente qual atitude que devo tomar para cada situação, não sei o que pode e o que não pode ser dito. Então é por isso que simplesmente digo!

Eu às vezes, com o olhar auto-crítico que possuo, percebo que falei algo que a maioria das pessoas não "costumam" falar. Eu só tenho a dizer que meu objetivo não é o de machucar, chatear, magoar ninguém ou qualquer outra coisa... Pelo fato deu não "saber" me adaptar como a grande maioria das pessoas conseguem, simplesmente eu falo e penso de acordo comigo mesmo!

E vou eu seguindo, vivendo em um mundo que para mim é muito estranho!

Seja o primeiro a comentar!

Postar um comentário

Não sou o "dono da verdade", portanto, estarei sempre disposto a ouvi-lo(a)...