Só falta você!

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

O Povo É Quem Decide





É uma unanimidade em qualquer livro de história - ela sempre foi decidida pela massa. O povo é quem tem a atuação principal, porém não tem consciência disso.


Essa falta de consciência acarreta em equívocos, dos quais o principal fator prejudicial é a sua fraqueza, tornando-se presa fácil para os ditadores do regime de escravidão.


Isso quer dizer que só podemos ser escravos se escolhermos ser isto, o controle está em nossas mãos, Jean-Jacques Rousseau já dizia: "O homem deve ser senhor de si mesmo."


Não é necessário que tenhamos pessoas que nem se quer nos conhecem decidindo por nós, pessoas das quais estão sempre inacessíveis, e que portanto eles não nos conhecem e nem vão nos conhecer.


Cabe a cada um decidir se vai ser um escravo ou um homem livre. Imagine a seguinte cena:


Hitler ordena ao seu soldado a atirar em uma criança por ela ser judia. O soldado responde:
- Não farei isto senhor!
- Mas, com... mas o quê!?(Hitler perplexo)
- Como ousa responder dessa forma soldado?
- Não farei isto senhor, por que trata-se apenas de uma criança indefesa que nem se quer tem consciência dos problemas que os homens procuram inventar, portanto não farei isto senhor!
- Basta!
- Para mim também basta senhor! Não obedecerei o senhor jamais. 
- Tudo isto aqui é ridículo, a minha intenção era de entrar no exército e servir ao meu país, ou seja, ajudar as pessoas e não assassiná-las.
- Chega! Homens levem-no daqui!
- Não podemos levá-lo senhor!(Outros soldados)
- O que está acontecendo aqui?(Hitler ainda mais perplexo)
- Também entramos no exército para proteger as pessoas e não para fazer o contrário.


A partir do ocorrido todas as pessoas tomaram o seu devido lugar, o da liberdade.

Um comentário:

  1. Olá Anselmo!

    Obrigada por me visitar, seguir e comentar. =)
    Seu blog tb é mto bom, já estou seguindo!
    Fique a vontade para voltar ao meu cantinho qnd quiser. Visitarei vc sempre!

    Beijos,

    Rejane.

    ResponderExcluir

Não sou o "dono da verdade", portanto, estarei sempre disposto a ouvi-lo(a)...