Só falta você!

domingo, 21 de agosto de 2011

Omissão: Um Passo Para O Sadismo



A omissão é extremamente cruel para com as pessoas, e ela não carrega a relevância que merece numa concepção mais comum. 

Se for analisar, aprendemos a omitir as coisas desde cedo geralmente com nossos pais. De uma forma ou de outra especialmente quando criança, quando não temos ainda adquirido a ideia do "cinismo", estamos curiosos para qualquer coisa desse mundo, e entre essas vem as perguntas fatídicas. Por exemplo: Por que "aquele" homem mora na rua? Por que existem crianças como eu que não têm pais?...

Diante de tudo isso os cínicos adultos relevam sem fornecer explicações claras, até porque os próprios adultos já estão "habituados" a essas coisas, das quais se refere como: "Coisas do mundo". 

Agora em base do cinismo está a tão cruel OMISSÃO, omitir situações é abandonar, ignorar... E nisto os adultos são muito bons! 

Acovardando-se aos problemas os conformados adultos omitem corriqueiramente, adaptando-se ao cenário que lhe mostra pessoas sem casa para morar e sem comida, não oferecendo atenção alguma. 

Por isso que digo que ser omisso é muito cruel! Falta apenas um passo para o omisso ser sádico, pois a omissão dos problemas dos outros leva o indivíduo ao sadismo, ou seja, ao prazer de ver os outros sofrerem.

4 comentários:

  1. Sempre digo que temos de ser verdadeiros assumir as nossas idéias, as nossas atitudes.
    Tem certos momentos que para cada coisa temos que fazer "vista grossa", mas se pudermos auxiliar aquele que está em dificuldades temos que fazê-lo.

    Abs!

    http://tocandoemfrente-ikki.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Olá Anselmo,

    Sim, a omissão é uma das características marcantes da deplorável sociedade em que vivemos. Somos muitos bons na arte de achar que não temos nada a ver com o que nela acontece. Se alguém tem algum problema, isso é “problema dele (a)”, pois, equivocadamente, achamos que não temos nada a ver com isso. Mas tal equívoco pode trazer resultados desagradáveis como mostra o seguinte texto de Bertolt Brecht.

    “Primeiro levaram os negros, mas não me importei com isso, pois eu não era negro.
    Em seguida levaram alguns operários, mas não me importei com isso, pois eu também não era operário.
    Depois prenderam os miseráveis, mas não me importei com isso, porque eu não sou miserável.
    Depois agarraram uns desempregados, mas como tenho meu emprego, também não me importei.
    Agora estão me levando, mas já é tarde.
    Como eu não me importei com ninguém, ninguém se importa comigo.”

    Creio que a atração pela omissão ainda nos trará enormes problemas.

    A exegese do Ikki toca em algo interessante. “Tem certos momentos que para cada coisa temos que fazer ‘vista grossa’, mas se pudermos auxiliar aquele que está em dificuldades temos que fazê-lo”.
    Saber fazer ‘vista grossa’ é algo imprescindível na vida. Fazer ‘vista grossa’ é não dar importância a coisas que não merecem importância. Mas omissão é diferente; omissão é não dar importância a coisas que tem enorme importância.

    Há uma frase atribuída a Moliére que julgo bastante pertinente quando o assunto é omissão. “Não somos responsáveis apenas pelo que fazemos, mas também pelo que deixamos de fazer.”

    O nosso gosto pela omissão é o responsável pela maioria dos nossos problemas atuais e ainda nos causará muitos mais.

    Abraços,
    Guedes

    ResponderExcluir
  3. Quando adquirimos consciência de que algo deve ser mudado e nos omitimos, passamos a fazer parte do problema!!

    ResponderExcluir

Não sou o "dono da verdade", portanto, estarei sempre disposto a ouvi-lo(a)...