Só falta você!

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Alguns Falam Enquanto Os Outros Têm À Dizer





É meus amigos... Enquanto uns falam, outros ficam à dizer, feito barcos à deriva sem destino. Porém os que falam, pelo menos os que ouço falar na maioria das vezes não dizem coisas tão aprováveis. 


"Ter voz" representa uma grande oportunidade de ajudar às outras pessoas, transmitindo uma nova forma de pensamento, isto é, você torna-se um formador de opinião, e hoje mais do que nunca com todas as mídias de comunicação isto está presente em nossas vidas. Entretanto, assistimos à certas coisas que não merecem nem se quer a atenção que possui.


Em vez das pessoas que possuem a oportunidade de falar, aproveitarem e dizer algo importante, algo que não seja tão clichê, na verdade aquilo que seja necessário, muitas acabam por se abster, seja por algum receio, enfim, é fato que ouvimos muitas "abobrinhas" de certas pessoas, e que nada muda, elas estão sempre à falar nos meios de comunicação, o que dá sinal para uma coisa grave: existem pessoas que ouvem e as veneram!


Sem ser incisivo, falei que existe bastante pessoas que falam coisas sem muita importância e que acabam por serem levadas muito bem em consideração, e também os que simplesmente não dizem nada. Vejo tudo isso na televisão, onde pessoas são pagas para falar, nada que seja fora dos padrões estabelecidos pela emissora, então não dá para se esperar nada.


E como disse: muitas pessoas seguem sem vozes infelizmente. Talentos vão sendo desperdiçados aos montes, enquanto os outros que têm à dizer não fazem jus ao falar.

Um comentário:

  1. Olá Anselmo!

    Falar e ter o que dizer me faz lembrar a seguinte citação atribuída a Platão: "O sábio fala porque tem alguma coisa a dizer; o tolo, porque tem que dizer alguma coisa". Ainda não somos sábios, mas já poderíamos começar a deixar de ser tolos.

    A tagarelice humana parece vir de longa data, mas foi o desenvolvimento dos chamados meios de comunicação individuais e coletivos – que propiciou a explosão do falatório reinante nesta sociedade na qual todos querem falar e poucos desejam ouvir. Veja o que diz o jornalista Fernando Pedreira em um artigo publicado no Jornal do Brasil, no longínquo ano de 1986, intitulado “Animais falantes”.

    “Essa imensa rede cresce sem parar, e é preciso diariamente enchê-la com palavras. Não há dúvida que esse é um dos grandes dramas modernos. A televisão, o rádio, o telefone, o telex não podem calar-se, sob pena de se tornarem antieconômicos e improdutivos.

    (...) a característica essencial dos atuais meios de comunicação (espicaçados pela concorrência), é obrigar as pessoas a falarem, mesmo quando obviamente não têm nenhuma vontade e, a rigor, nem sequer sabem o que dizer.

    Basta apertar o botão de um aparelho de TV no Rio, em Paris ou Nova Iorque, para perceber que um microfone, quando espetado diante do nariz de uma pessoa, é um maravilhoso instrumento capaz de esvaziar até mesmo cérebros ocos. Calar-se seria a derrota. O importante é produzir palavras, é satisfazer o apetite do pequeno aparelho e encher o tempo e o espaço, antes que algum outro aventureiro o faça. Políticos, administradores, generais, médicos, até mesmo simples populares, ou falam ou perdem a vez.”

    Em minha opinião, o texto continua válido. O que aconteceu de lá para cá foi o surgimento de novos muitos meios de comunicação, o que só fez aumentar a tagarelice. A cada dia é maior a quantidade de pessoas que dizem coisas só para encher o silêncio. Ou para chocar e provocar.

    Um abraço,
    Guedes

    ResponderExcluir

Não sou o "dono da verdade", portanto, estarei sempre disposto a ouvi-lo(a)...