Só falta você!

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

A Autoridade





Vivemos em um mundo cheio de "autoridades", mas a pergunta é: o que vem ser essas "autoridades" e isto é realmente necessário?


Bem, a autoridade nada mais é do que o direito de mandar, mas é aí é que está, logo em seguida vem outra pergunta à minha mente que é: quem deve ter o direito de mandar em outra pessoa? Afinal, somos todos iguais e devemos portanto dispor das mesmas faculdades. 


Agora, o erro ocorre exatamente no ponto que algumas pessoas que se acham suficientemente espertas para se sobrepor em relação às outras, e o pior é que isto acontece claro com o apoio do futuro comandado, ele acaba por se doar voluntariamente a chamada autoridade, e assim completa-se o ciclo do autoritarismo.


Então, pois que vamos às soluções das perguntas, para a primeira respondo que não é necessário que nós humanos estejamos à mando de outros indivíduos humanos, como supracitado as pessoas são iguais e isto já responde a pergunta de forma concisa, então devemos trabalhar juntos e de cabeça erguida e não rebaixando-se um para o outro com pronomes de tratamento exuberantes que chegam à ser ridículos, pois senhor é um só e ele está no céu, ou seja, este sim está acima de nós.


Ninguém merece o direito de um tratamento especial, muito menos o poder de mandar em outras pessoas como se estas fossem animais irracionais. 


Cada um deve ser responsável por suas escolhas, o filósofo Jean Jacques-Rousseau já dizia que o homem deve ser senhor de si mesmo. 


Por fim, posso dizer-lhes que autoridades não existem, quer dizer não devem existir, elas só existem nas mentes das pessoas que acreditam que elas existam, por exemplo se você pensar que Jesus Cristo é uma autoridade ele será uma autoridade, mas somente na sua mente, então as coisas são o que achamos que são, lembre-se de que somos todos iguais e ninguém merece ser autoridade de ninguém.

Seja o primeiro a comentar!

Postar um comentário

Não sou o "dono da verdade", portanto, estarei sempre disposto a ouvi-lo(a)...