Só falta você!

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Liberdade, Igualdade e Fraternidade





Este foi o slogan utilizado em meados do século XVIII junto à Revolução Francesa, as fundamentais: Liberdade, Igualdade e Fraternidade. Apesar do tempo que se passou, tais  substantivos ainda são componentes de cobiça para os dias de hoje.


Não somos suficientemente livres para fazermos o que queremos, irmos até onde queremos ir, não podemos trabalhar com o que gostaríamos, não podemos conhecer o que gostaríamos de conhecer, o governo nos controla através de documentos, estatísticas, da economia, não passamos de meros pontos percentuais de dados. A nossa vontade nunca é levada em consideração. Não somos suficientemente livres para escolher o que queremos ser, é o governo quem toma este papel de nós. Não podemos "parar" em uma tarde para curtir o sol se pondo, temos "compromissos" que disfarçados com este nome não passam de mandos de terceiros.


Vivemos sob uma desigualdade absurda, uma minoria que vive as maravilhas e às custas dos que trabalham duro, que além de não terem seus esforços recompensados são pisoteados feito pragas. Não sobra educação, não existem direitos, nem se quer os direitos humanos são respeitados, os pobres são como uma escória, que não possuem acesso a nada.


Onde está a fraternidade!? Isto nunca existiu, porém não significa que não pode existir. Então resta-nos imaginar um ambiente fraterno, quase como um paraíso, onde ninguém está preocupado em ser melhor do que ninguém, mas sim em ajudar quem precisa, onde as pessoas não machucam umas às outras, que não matam umas às outras da mesma forma que trocam de roupa. 


Definitivamente, não somos livres, não temos direitos iguais, e não somos fraternos uns com os outros. 


Também não adianta cruzar os braços e esperar que Deus faça todas coisas sozinho, temos de reunir nossos esforços para buscar tudo isso! Afinal, Deus nos deu liberdade ao nascermos, mas foram os próprios homens que paulatinamente extinguiram isto dele mesmo, e isto também vale para a igualdade e a fraternidade.

Seja o primeiro a comentar!

Postar um comentário

Não sou o "dono da verdade", portanto, estarei sempre disposto a ouvi-lo(a)...