Só falta você!

domingo, 25 de setembro de 2011

A Revolução





Revolucionar representa mudar. Porém não é uma mudança qualquer, mais do que isto revolucionar é inovar, revoltar-se contra a raiz, ou seja, uma grande transformação.


A própria palavra já denuncia-se afirmando ser radical, e se olharmos à nossa volta o que você acha, precisamos de alguma mudança radical, inovadora? É claro que sim! Nos mais diversos sentidos temos de mudar coisas, digo revolucionar, porque só através da revolução que é possível fazer as mudanças acontecerem e resolverem de uma vez por todas os problemas e não buscando as tradicionais medidas paliativas.


Temos conhecimento de várias revoluções na história da humanidade, variando em seus métodos e ideologias, podendo ser de forma pacífica ou violenta, e entre as principais estão a Revolução Francesa da qual foi simbolizada pela queda da Bastilha, também um dos maiores acontecimentos do século XX foi a Revolução Russa, conhecida como a Revolução Bolchevique, liderada por Vladimir Lênin que acabou por influenciar os partidos comunistas de todo o mundo, ainda mais próximo de nós brasileiros está a Revolução Cubana, que foi uma revolução armada liderada pelo bem conhecido Fidel Castro tendo como seu braço direito Ernesto Guevara de La Sierna, o "Che Guevara" que chegaram a tomar o poder de um país por completo, sendo que seus revolucionários eram em número muito reduzido.


Ah! É claro que não poderia faltar uma revolução tão recente quanto a da Líbia, que destronou o tirano Muammar Khadafi, percebe o quão difícil foi não só esta, mas também todas as outras revoluções? Nenhuma conquista cai do céu! É como o próprio nome já diz - é uma conquista. A revolução exigi muito trabalho e doação, precisa de ter líderes com ideias sólidas, e que sejam capazes de abrir mão de tudo em nome da causa revolucionária.


Para se revolucionar tem de estar disposto à ir até as últimas consequências, e como sempre  o maior apoio reside na população, então para se revolucionar é necessário um líder e o apoio popular, que ambos juntos se tornam infalíveis e sem limites.

Seja o primeiro a comentar!

Postar um comentário

Não sou o "dono da verdade", portanto, estarei sempre disposto a ouvi-lo(a)...