Só falta você!

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

A Solidão





A solidão pode parecer melancólica, mas é fato que pode se aprender muito com ela. Por mais incrível que possa parecer a solidão é uma boa companheira.


Então, a solidão é o momento mais propício para se refletir sobre a vida, que dependendo do tempo sob solidão é possível até refletir acerca do mundo inteiro. A solidão está ligada diretamente a meditação, e a meditação é individual, ela envolve somente o espírito de quem medita com o Ser superior que ela acredita existir.


A solidão é um processo de aprendizagem, é necessário primeiro que a pessoa aprenda a conviver sozinha para saber viver em conjunto. Então, é possível afirmar que quem não sabe conviver com várias pessoas pode ter sua causa na falta de solidão. Isto é explicável de forma muito simples, pois na solidão você convive apenas com a si mesmo, o que leva você a se conhecer melhor, saber como você é, contudo você aprende a lidar melhor com a vida.


Há também quem tema a solidão, é claro que não é indicado que vivamos na solidão para sempre, mas existem as vantagens que foram supracitadas, e que inclusive são necessárias para o indivíduo desenvolver-se melhor, quer dizer que depende somente de nós e de mais ninguém para aprendermos a conviver conosco e com os outros.


A filosofia tem muito a ver com a solidão, pois filosofar é especular, e para isto precisamos estar sozinhos, porque só nós mesmos podemos saber o que nossa mente guarda.


Por fim, gostaria de destacar que devemos converter a solidão em uma companheira de vida, pode ter certeza que ela não lhe faltará com a atenção, não se preocupe somente em dialogar, que inclusive pode ser mais perigoso, uma vez que as pessoas mudam constantemente e podem nos trair, então antes sozinho do que mal acompanhado, faça os seus monólogos, e verá que aprenderá consigo mesmo, o importante é por para fora. Não a tema, aprecie os momentos de solidão e seja amigo dela.

Seja o primeiro a comentar!

Postar um comentário

Não sou o "dono da verdade", portanto, estarei sempre disposto a ouvi-lo(a)...