Só falta você!

sábado, 29 de outubro de 2011

Os Privilegiados





O que você faz quando se sente privilegiado? O que significa para você este sentimento?


Bem, a vantagem que o privilégio traz à mim em relação a outra pessoa é positiva, porém ela é bem-vinda desde que seja com mérito. Então, se for para ter privilégios, eles tem de ser conquistados. Um exemplo claro e atual disto é o trabalho, onde após trabalharmos determinados dias temos o direito de folga assegurado, quer dizer que conquistamos nosso descanso, e que portanto é merecido. Não obstante, o mundo sempre funcionou da mesma forma, se queremos ter o privilégio de comer nosso prato predileto temos antes de prepará-lo, se desejamos um lar temos de construí-lo, enfim por aí vai...


Por outro lado, temos os privilégios ganhos de graça, por motivos que vão desde sorte até a banalidade. O que quero dizer é que certas pessoas, sendo que muitas, recebem o seu privilégio sem o mínimo esforço, e isto é injusto!


"Quem foi que falou que é fácil?" - Esta pergunta demonstra claramente uma das leis mais conhecidas da natureza da vida, que mais simples ainda poderia ser definida da seguinte forma: todo privilégio requer esforço.


Olhando a nossa volta percebemos que nem sempre a lei da natureza se reproduz, sobretudo a partir do momento em que o capitalismo impera, pois nele é permitido e completamente normal a existência de um indivíduo demasiadamente rico e ao mesmo tempo outro indivíduo sem diferenças fundamentais que não tem o que comer. É um contraste absurdo!


Agora, se refletirmos a questão: será que o rico merece o privilégio de ser rico? E será que o pobre merece ser pobre? Sabemos que não! Não no capitalismo.


Para fechar, sinto-me na obrigação de enfatizar que se você têm privilégios, sendo eles conquistados ou não, primeiramente agradeça à quem lhes forneceu! Pois se formos examinar a fundo, entenderemos outra lei da natureza que é: a situação sempre pode piorar. Além disso, a pessoa que têm muitos privilégios e em contrapartida possui um déficit de esforço, o que lhe resta é redimir-se distribuindo estes privilégios aos que não possuem mesmo que merecendo.

Seja o primeiro a comentar!

Postar um comentário

Não sou o "dono da verdade", portanto, estarei sempre disposto a ouvi-lo(a)...