Só falta você!

domingo, 6 de novembro de 2011

O Excesso de Liberdade





Bem, já é trivial entre as pessoas a ideia de que nada em excesso pode ser benéfico. Portanto é possível afirmar que existe sempre uma linha imaginária que limita tudo aquilo que podemos fazer.

Exemplos de liberdade extrema nos remete ao erro, isto é, não somos suficientemente livres para matar outra pessoa por exemplo. Assim como não podemos obrigar ninguém a fazer o que não queira.

Conclusão, nada em excesso faz bem. Inclusive até para o amor existem limites, pois o amor exagerado tem nome e se chama idolatria, sendo que nenhum homem é digno de amor aos exageros, uma vez que igualam-se pelo fato de tratar-se de seres imperfeitos. Salvo para o amor divino, pois Deus é o único ser perfeito, e isto o faz merecedor de idolatria.

Bom, como já que comecei mencionando a popularizada ideia do excesso, aqui vai outra - a ideia de que não há regra sem exceção. Como é o caso do amor idólatra, desde que este seja ágape. 

Portanto, é possível dizer que o excesso de liberdade também é um mal. O mundo vive sob uma grande oscilação de excessos e escassez de liberdade. Sem citar tipos, é excesso tudo aquilo que um indivíduo faz e que provoca interferências prejudiciais à um terceiro. E configura-se carência de liberdade quando não podemos decidir por nós mesmos.

Por fim, devemos possuir liberdade constantemente, lembrando incessantemente que ela se limita à nós mesmos. 

Seja o primeiro a comentar!

Postar um comentário

Não sou o "dono da verdade", portanto, estarei sempre disposto a ouvi-lo(a)...