Só falta você!

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Dizer O Que Não É Dito





Eu sempre tive dificuldades para me adaptar à este mundo, incluindo tudo no que diz respeito ao convívio. Desde que me dou por gente questiono as coisas que estão ao meu redor, sejam as coisas que já existem há um bom tempo ou coisas que surgem junto à minha geração. Ouço as pessoas falando que "...as coisas são assim mesmo", não consigo compreender o que faz uma pessoa pensar de tal forma!? Não faz sentido nenhum! Como é que as coisas podem ser de alguma forma, se somos nós que fazemos as coisas!?

Nunca me senti à vontade para viver, como aquela sensação de estar fora de sua casa, num lugar estranho. Esta impressão que sinto é devido ao que observo nas pessoas, vejo elas vivendo tranquilamente adaptadas ao que é imposto ao longo do tempo. Então não sinto a mesma "tranquilidade" ao viver, as custas das imposições alheias. Além disso, parece que as pessoas nascem com alguns atributos ou os adquirem facilmente sabendo onde encontrá-los, enquanto eu não sei de nada dessas coisas. Tais atributos englobam atitudes pré-definidas para cada situação, maneiras aceitáveis de pensar, limites de pensar, falar e agir e etc... É como se existisse um "manual da vida do homem", do qual eu não tenho acesso e não sei como encontrá-lo.

Por essas razões, eu não consigo me adaptar ao mundo, não sei exatamente qual atitude que devo tomar para cada situação, não sei o que pode e o que não pode ser dito. Então é por isso que simplesmente digo!

Eu às vezes, com o olhar auto-crítico que possuo, percebo que falei algo que a maioria das pessoas não "costumam" falar. Eu só tenho a dizer que meu objetivo não é o de machucar, chatear, magoar ninguém ou qualquer outra coisa... Pelo fato deu não "saber" me adaptar como a grande maioria das pessoas conseguem, simplesmente eu falo e penso de acordo comigo mesmo!

E vou eu seguindo, vivendo em um mundo que para mim é muito estranho!

terça-feira, 30 de agosto de 2011

As Fronteiras


O homem há muitos vem separando territórios, procurando isolar-se de alguma maneira. Pode ser que esteja pensando em se proteger, defender sua cultura e suas tradições de povos até então desconhecidos,  mas protegendo-se do que exatamente? Uma vez que o mundo é um só e nos tempos modernos mais do que nunca o mundo é desbravado.

Então, qual é necessidade de se existir países? Pior, ele é dividido em 1ª, 2ª e 3ª mundo. Quer dizer um único mundo de vários mundos!

É uma excelente desculpa para esquecer dos países mais pobres. É pura bobagem que países lutem contra si mesmos, afinal por que lutar se podemos somar?

Como já disse em um post passado sobre a generalização, reafirmo aqui que é errado generalizar, ainda mais generalizar um povo, isto é, um grande número de pessoas. Não existe um forma fixa do brasileiro pensar, assim como não existe uma forma exata da qual os japoneses pensam. Pode parecer óbvio, mas cada um é cada um.

É claro que como disse no início, existem culturas e tudo mais. Porém isto não pode significar que podemos ser julgados em massa. Cada pessoa é livre para escolher o que vai ser! Se um inglês quer viver à moda americana, é uma escolha. Concluí-se que as nações não têm "identidades fixas", as coisas mudam constantemente e ilimitadamente.

Não adianta tentar defender um "estereótipo nacional", trata-se de pessoas, logo pessoas mudam a forma de pensar. O mundo iniciou sem fronteiras, e deveria continuar assim. 

domingo, 28 de agosto de 2011

A Teoria De Robin Hood



A clássica história ou estória de Robin Hood é muito conhecida no mundo todo. Refiro-me à ela como "teoria" porque o ênfase da história é o dilema de "roubar" dos ricos para dar aos pobres.

Automaticamente é lançada uma teoria que tem por principal questão: É correto ou justo roubar dos ricos para dar aos pobres?

Antes de responder à esta questão eu gostaria de ponderar sobre a origem do problema, que por sua vez traz consigo uma outra dúvida, mas afinal por que é que existem pobres e ricos?

Entende a origem da questão!? Considerando que nascemos iguais, que temos as mesmas necessidades de vida e que temos um objetivo em comum, que é o de ser feliz, sendo este uma variável de pessoa para pessoa. Agora, os objetivos das pessoas variam muito, assim como variam os modos de pensar e agir, quer dizer que podemos ter bilhões e bilhões de objetivos diferentes. Não posso ter a pretensão de dizer quais são certos e quais são errados, mas posso dizer que se alguém tem um objetivo cujo ele é "preciso" passar por cima de objetivos alheios, com certeza este é "INCORRETO"! Existe um princípio para o caminho da felicidade, é um caminho muito difícil de se enxergar, às vezes caímos em armadilhas durante o trajeto, porém para se buscar a FELICIDADE VERDADEIRA nunca será necessário machucar ninguém, e se você sentir está necessidade durante o seu trajeto tenha a certeza de que você está EQUIVOCADO.

Voltando ao cerne do post, tendo-se em vista que somos iguais nos aspectos mais superficiais, não há razão nenhuma  de existir DESIGUALDADE SOCIAL, cada homem deve ser senhor de si mesmo, pois ninguém merece regalias das quais todos os outros não poderão receber.

Então, a minha resposta é sim! É correto roubar dos ricos para dar aos pobres! Lembrando-se claro que mais correto ainda seria NÃO EXISTIR POBRES E RICOS.

A título de conclusão, digo que nesta teoria ambos os lados dos ricos e dos pobres estão equivocados, pois à começar pelos ricos eles roubam a princípio deixando uma camada sem as mesmas riquezas, à qual é chamada de pobreza. Então se os pobres nada fizerem, existirá apenas uma lado ladrão, o dos ricos! Já com os pobres roubando o que no começo havia sido roubado por certas pessoas, cujo roubo às tornaram ricas, ficaria digamos num empate.

sábado, 27 de agosto de 2011

Generalizando



Já percebeu que estamos sempre generalizando as coisas? Como esta pergunta por exemplo! Ao me referir à nós(estamos sempre), pode ser que nem todo mundo está generalizando, ou que pelo menos não sempre.


Observe o quão errado é generalizar as coisas, é o mesmo que julgar sem ter conhecimento de algo. Como se isso já não bastasse, aumenta-se a níveis elevadíssimos que podem ir de um pequeno grupo até uma nação em segundos!


Isto significa que generalizar é incorreto por ser injusto! Até mesmo numa demonstração simples você pode perceber: Imagine que de um grupo de 10 pessoas, 9 delas gostam de futebol. Tudo bem até aí, pois não há nada de errado em gostar de futebol, mas acontece que nem todas pessoas pertencentes à este grupo gostam do referido esporte, afinal restou 1 pessoa que tem por preferência o basquete. Por mais que seja um índice alto de 90% não é tudo! É obvio o que vou afirmar, mas é necessário: 90% não é 100%!


Logo concluí-se que não podemos dizer que todas essas pessoas curtem o futebol, pois é uma MENTIRA, ou seja, uma GENERALIZAÇÃO!


Deve-se tomar cuidado ao falar das coisas, principalmente ao citar um número grande de pessoas, afinal quanto maior for esse contingente maior será a taxa de diferenciação.


Fica para nós mais uma dica de comportamento, sobretudo de CONSCIÊNCIA do que é falado e do que falamos.

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

O Ato De Colocar-se No Lugar Do Outro



É isso aí! Você já cogitou a ideia de se colocar no lugar de alguém que enfrenta algum tipo de situação difícil? Este é um exercício muito interessante para pessoas egoístas.


Infelizmente, falta isso nas pessoas. Essa compaixão, esse ato um tanto quanto altruísta de uns para com os outros. 


Se fosse mais utilizado ajudaria a solucionar vários problemas dos mais simples até os mais complexos, uma vez que cada um procuraria ter cuidado em suas atitudes, analisando previamente ambos os lados, e é exatamente aí onde se encontra a origem dos problemas. Na falta de cuidado ao analisar pelo menos dois lados existentes, ou seja, sua mente deve funcionar como um mediador afim de conciliar os que se repelem.


Mas voltando ao cerne da questão, digo que se mentalmente ficarmos por alguns instantes "na pele" de alguém, sentiremos de fato o "drama" alheio, e isso com certeza nos fará entender e respeitar melhor as coisas.


Experimente mais este exercício, evite uma "blindagem mental" que por sinal é apenas uma falsa impressão de que você estará sempre fora de certas condições, pois assim você diminuirá drasticamente o seu lado egoísta e passará a entender melhor as pessoas com as quais convive e consequentemente você terá vontade de ajudá-las.

terça-feira, 23 de agosto de 2011

As Eficientes Medidas Paliativas



Bom, em primeiro lugar é necessário dizer sempre que fazer algo é melhor do que não fazer nada. Porém isto não significa que "certas" atitudes que solucionam os problemas imediatamente são as melhores e mais adequadas para se tomar.


O Brasil que o diga! É um país extremamente bom nesse tipo de coisa. Os governantes são os que geralmente executam este papel, indo sempre pelo caminho da solução rápida, ignorando o que virá no futuro, ou seja, eles estão sempre buscando por medidas paliativas, aquelas que resolvem apenas no momento, sendo assim eficientes e não eficazes. Isso também se dá é claro devido a ânsia que os políticos tem em apresentar alguma atitude, como o popular: "mostrar serviço". Para assim fazerem a "média" e garantirem o apoio popular.


Agora se formos analisar, tudo à nossa volta é paliativo! O sistema como um todo visa apenas as medidas paliativas para resolver os problemas. Por exemplo: se alguém é assaltada em seu carro, logo pensa que vai precisar de mais proteção, então o sujeito com todo seu poderio vai à uma oficina especializada e blinda seu veículo. Esta é uma medida paliativa, quer dizer: resolve o problema no momento, não significando que aquilo vai lhe garantir segurança para o maior tempo possível. Continuando o breve exemplo afim de demonstrar uma solução realmente eficaz e não somente eficiente, o correto seria no mínimo se perguntar: Por que estou sendo roubado? Será que este homem que me rouba se tivesse as mesmas OPORTUNIDADES que eu como um bom emprego, boa educação claro, boa família, enfim, tudo aquilo que me estrutura ele estaria roubando-me? Obviamente que não!


O pior é que o mundo pensa paliativamente! As pessoas não param, e analisam as soluções para os problemas. Se fulano tem sua casa assaltada, logo vai investir na segurança da mesma colocando portões resistentes, aumentando de tamanho seus muros... Se determinado político é pego desviando dinheiro público ele com a pressão populacional acaba por deixar o cargo, até aí tudo bem, mas e a PUNIÇÃO!? Também é um exemplo de medida paliativa que é comumente tomada entre outras tantas.


Então, tudo isso quer dizer que os homens mais uma vez estão equivocados cegos pelos seus egoísmos e em consequência disto tomam sempre medidas paliativas para resolverem seus problemas, o que NUNCA lhe trará uma solução completa e eficaz se este continuar tendo uma mentalidade medíocre.



domingo, 21 de agosto de 2011

Omissão: Um Passo Para O Sadismo



A omissão é extremamente cruel para com as pessoas, e ela não carrega a relevância que merece numa concepção mais comum. 

Se for analisar, aprendemos a omitir as coisas desde cedo geralmente com nossos pais. De uma forma ou de outra especialmente quando criança, quando não temos ainda adquirido a ideia do "cinismo", estamos curiosos para qualquer coisa desse mundo, e entre essas vem as perguntas fatídicas. Por exemplo: Por que "aquele" homem mora na rua? Por que existem crianças como eu que não têm pais?...

Diante de tudo isso os cínicos adultos relevam sem fornecer explicações claras, até porque os próprios adultos já estão "habituados" a essas coisas, das quais se refere como: "Coisas do mundo". 

Agora em base do cinismo está a tão cruel OMISSÃO, omitir situações é abandonar, ignorar... E nisto os adultos são muito bons! 

Acovardando-se aos problemas os conformados adultos omitem corriqueiramente, adaptando-se ao cenário que lhe mostra pessoas sem casa para morar e sem comida, não oferecendo atenção alguma. 

Por isso que digo que ser omisso é muito cruel! Falta apenas um passo para o omisso ser sádico, pois a omissão dos problemas dos outros leva o indivíduo ao sadismo, ou seja, ao prazer de ver os outros sofrerem.

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Subestimando E Superestimando



Existem limites para todas as coisas. Muitas vezes estes limites são ultrapassados pelas pessoas uma em relação à outra.

Tanto para baixo ou para cima, de certo devemos nos manter nessa linha tênue. Se falarmos por baixo, pela subestimação, significa que não estamos dando o devido valor à algo, ou seja, isto é muito ruim, pois temos de "respeitar" as pessoas, está aí uma coisa que infelizmente dá pra se ver com frequência, indivíduos subestimando uns aos outros pelos motivos mais ridiculamente preconceituosos. Tais como: A origem da pessoa, características físicas e etc. Subestimar é julgar, e julgar sem ter conhecimento é INJUSTO! Não se esqueça que enquanto você julga alguém estará te julgando, é como aquela história que geralmente ocorre em grupos de difamadores em que dizem coisas do tipo: "Como fulano é idiota, deve fazer tudo errado..." E se acabam em risos. Da mesma forma que devemos identificar e logo nos afastar destes grupos, sem "cooperar" com covardes comentários e/ou gargalhadas, devemos também nos afastar da subestimação, afinal ela é repugnante.

Superestimar também ocorre muito, a ressalva de que ninguém é perfeito por si só, já deveria ser suficiente para perceber que não é sensato sair por aí enaltecendo pessoas que nem se quer conhecemos, sejamos mais cuidadosos com isto, não confunda admiração com superestimação, se um sujeito merece realmente admiração, pois então o admire! Não o superestime, como ocorre com frequência na mídia! Ou então você no futuro se decepcionará muito.

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

As Pessoas E Seus Vícios



Todos nós temos vícios, não adianta negar. É claro que ninguém gostaria de tê-los, porém como os adquirimos? E como nos livrar deles?


Bem, partindo da premissa de que tudo é dinheiro, os vícios estão completamente ligados à ele. 


Todo produto é desenvolvido estrategicamente para um consumo sempre ascendente, quanto maiores são as vendas, maiores serão os lucros, e uma pergunta quase que unânime é a seguinte: O que fazer para garantir que meu produto seja sempre utilizado, ou melhor cada vez mais utilizado? Se este não for de necessidade vital, o grande apoio que se pode obter está nas substâncias químicas que são capazes de viciar.


Tais substâncias estão explicitamente em nossa frente, sendo comercializadas como as bebidas e os cigarros. Estas são as legalizadas pelo governo, note que ridículo, as drogas são legalizadas pelo próprio governo. 


Só que o ponto que quero tratar não é exatamente este sobre drogas. Afinal, já estamos cansados de saber o quão ruins as drogas são, o que fazem de mal à nosso organismo, enfim isso tudo é óbvio.


Para responder as questões que foram abordadas logo no início eu diria que só adquirimos os vícios por nossa própria conta, seja por más influências, por imaturidade e etc. Para estes exemplos digo que sempre temos a chance de escolher, então cabe a nós mesmos saber o que é melhor para nós, temos de ter PERSONALIDADE para todas as coisas, temos de ter OPINIÃO PRÓPRIA e não deixar ser guiado por uma infeliz maioria, e se você não tem personalidade, procure ter, e somente ela vai lhe ajudar a tomar decisões vitais que mudarão sua vida para melhor. E a imaturidade não foge da temática personalidade, é claro que ninguém pode nascer maduro, mas alcança-se maturidade de forma rápida na vida   com personalidade própria. 


Isso então nos demonstra que necessitamos dispor de personalidade, não trata-se de ser o "do contra", mas sim saber se impor diante de qualquer assunto, de forma original, sem clichês, não acreditar sempre no que lhe é dito, basicamente ter uma desconfiança racional.


Por fim, se você têm poucos vícios, ótimo mantenha-se assim! Procure ter cada vez menos! Ou se possui muitos, procure por personalidade! Somente com ela você vai poder dizer basta!


PS: Minha personalidade diz que para que eu tenha amigos não é necessário beber e/ou fumar "socialmente". 
  

terça-feira, 16 de agosto de 2011

A Invenção Chamada: Arma De Fogo



Eis uma invenção muito antiga que revolucionou o mundo de tal forma, difícil dizer se trouxe algum bem, cujo objetivo é matar. Ao longo de toda essa história ela tirou a vida de inúmeras pessoas e animais. 


Bem, até aí tudo de acordo com o esperado, o estúpido homem que criou e/ou aprovou isto estava matando a si mesmo. 


E o desenrolar disso até hoje é cada vez pior, a medida que a tecnologia foi se desenvolvendo, o objetivo também se desenvolveu, que de matar alguns elevou-se para o de matar vários, o máximo possível, podendo ser um bairro, ou uma cidade, estado ou até um país, através de armas biológicas como os EUA fizeram aos japoneses, mais especificamente nas cidades de Hiroshima e Nagasaki.


Pois é, isso tudo nos demonstra o quão banal a vida é, podendo se resumir em um tiro, que são regidos pelas leis do faroeste. 


O homem é inteligente suficiente para criar, mas não para administrar. Tanto é que vemos o rumo que tomou este objeto, sempre nas mãos de quem não sabe usar, os chamados "policiais" usam-na contra pessoas não tão armadas e treinadas quanto ele, o que lhe dará vantagens desproporcionais. Porém, para início de conversa - Cá pra nós que o erro mora exatamente em questões como: Por que um policial deve estar sempre armado? E que fim tem este princípio? Sem esquecer também: o que fez este indivíduo para merecer o porte deste objeto?


Por que o homem é tão cruel consigo mesmo? Estão sempre se matando por dinheiro, na verdade por egoísmo e outros motivos que eles procuram inventar. Será que é difícil entender que partilhamos o mesmo mundo e portanto devemos viver uns para os outros?



domingo, 14 de agosto de 2011

As Pessoas Têm Pressa





As pessoas têm pressa hoje em dia, elas estão agindo feito robôs cujo objetivo é apenas seguir ordens, independente de qual seja esta ordem. Também não as culpo por isso, na verdade elas são vítimas do sistema em que estão inseridas.


As pessoas seguem muitas ordens porque se sentem obrigadas à isso. O mundo está tão frenético que as pessoas são capazes de fazer coisas no mínimo absurdas só para seguir algo que em sua cabeça é considerado dever. 


O exemplo mais prático de tudo isso é o trânsito de veículos, quem está presente nele sabe do que estou falando. É totalmente agressivo, os motoristas querem literalmente passar por cima dos outros carros, dos outros tipos de veículos e das pessoas que estão à sua frente. Isto é, não se tem respeito nenhum, paciência, a única coisa que importa é ir para a frente não interessando no que vai dar.


É incrível, as pessoas não param devido ao sistema, que por sua vez, dá margem para tornar as pessoas mais agressivas, insensatas e insignificantes. Nada está mais importando, as pessoas se intitulam "sociedade", mas não é bem assim, ninguém vive em sociedade, e sim o lema: "Cada um com seus problemas". Quem nunca ouviu isto ou até mesmo já o falou? 


O sistema é simples e ditatorial, trata-se de um cada um por si, o problema é que o homem não percebe que é muito melhor viver em sociedade, mas não! Viver nesta sociedade é obrigação pelo simples fato de existirem regulamentos, que são determinados por um número irrisório de pessoas ocultas para com a sociedade, significando que o que rege esta sociedade não é ela própria. 


Fica aí o alerta para o caminho que estamos seguindo, que é completamente descabido. Isto só torna as pessoas cada vez mais monótonas, as pessoas que integram a sociedade não se integram com ninguém, a sensação que dá é a de que somos inimigos uns dos outros, se você precisar de ajuda vai ser raro alguém desta sociedade "parar" para oferecer-lhe ajuda, afinal as pessoas têm de BATER CARTÃO, assim não terão tempo suficiente para ajudar.


O ponto que quero chegar é que devem existir LIMITES para fazer e deixar de fazer. Dizer: SIM! Eu vou ouvir o que você tem a dizer, pois se você está pedindo é porque é importante. Dizer: Chega! Não vou agir à qualquer custo.

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Bomba Burocrática



Ahh, a burocracia! É incrível como ela existe em qualquer parte, em qualquer sentido, parece até que gostam dela, aliás, gostam realmente dela, pois não é possível que as coisas estejam desse jeito sendo que os homens não gostem de burocracia.


Um exemplo claro seria a ECÔNOMIA, que pode ser definida por uma ou no máximo duas palavras que é/são: BUROCRACIA que é óbvio, por ser repleta de informações, cálculos, etc... Bem os homens adoram isso tudo porque eles se acham muito inteligentes e a prática de tal atividade sustenta suas "vaidades" que para eles são intelectuais, mas que na realidade não passa de uma volúpia. Já a BOMBA BUROCRÁTICA trato como a economia como um todo, ou seja, a chamada globalização, o comércio que se dá entre os países burocratas, então imagine o que é um mundaréu de dados de um só país; Agora imagine vários países com seus complexos dados econômicos juntos; Forma-se uma bomba burocrática!


Muito bem, a tão comentada voluptuosamente economia é mais graves delas, mas existem várias outras como já comentei em um post anterior("As Leis Do Bom Senso") que são exatamente as "leis" que através de seus códigos, tratados, acordos e etc... Atropelam o bom senso que deveria valer e acabam por dificultar a vida das pessoas. Ela é tão ridícula que para que serve uma certidão de óbito? Para comprovar que uma pessoa está morta!? Será que se eu falar que alguém está morto não é suficiente? É ridículo, a burocracia do homem que se acha tão inteligente revela o quão estúpido ele pode ser.


O fato é que sentimos tudo isso na prática de nossos cotidianos, e isso não é nada bom, é péssimo, faz nos passar por constrangimentos, perder oportunidades, dores de cabeça, trabalho para quem já o tem e etc.


Mas os homens apreciam tudo isso, depois choramingam com as reviravoltas que se dão neste burocrático sistema econômico, é claro que alguém vai perder em um JOGO DE PERDER E GANHAR. 


A verdade também é que a economia interessa aos detentores do capital(RICOS), é como uma brincadeira para eles, é assim que funciona o mundo deles, mas não significa que o nosso mundo deve ser assim. E ainda existe quem diz ser impossível viver sem economia, mas eu pergunto: É possível viver em mundo como este, cheio de miséria?


Não interessa se um banco faliu ou uma empresa qualquer, ou qual é a cotação do Dólar, o que nos interessa é viver em mundo justo, que pelo menos não nos falte o que comer.

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

A Religião





Bem, já tratei de vários temas neste blog já são quase 30 posts em mais ou menos 2 meses de  existência e é claro que não poderia faltar o tema: Religião.

Este blog trata de qualquer assunto do mundo então é claro que não vai faltar assuntos, porém às vezes me esqueço de escrever sobre eles e essa deve ser a explicação para eu ainda não ter abordado um tema tão abrangente. Então vamos lá!


Em suma, a religião é perda de tempo total. Tenho razões para pensar de tal forma, veja como é simples se partirmos do seguinte princípio: Você não acha que Deus ficaria muito mais feliz com você ao saber que você é um novo doador de medula, do que um novo frequentador de culto, ou de missa etc...? Tenhamos bom senso, é claro que Deus ficaria muito mais satisfeito com um ato tão generoso.


Não quero dizer aqui que é ERRADO fazer parte de religiões e a partir daí seguir as peculiares normas doutrinárias de cada uma, mas quero dizer que é errado ser CRÉDULO, ou seja, ingênuo, crer facilmente em tudo que lhe é dito. Aliás, se você for tão apegado à "encontros religiosos", não tem problema, continue fazendo desde que não pense que isto é o suficiente para cooperar com o mundo, como o exemplo que citei acima, não existe somente este, mas sim intermináveis ações de generosidades que faria Deus se orgulhar de você.


De tudo isso, é importante frisar que nenhuma religião escapa, portanto não adianta tentar justificar uma e outra, pois cada uma possui suas falhas e contradições. Então aconselho que não procure por religião e sim por RELIGIOSIDADE, uma coisa é a religião criada por um homem tão ou mais pecador do que você, isto significa, imperfeita. E outra coisa é a religiosidade que mora em cada um de nós, lá dentro, onde sentimos as batidas do coração e que ela melhor do que ninguém pode nos dizer o que devemos fazer. 


Da mesma forma que o seres humanos tem um objetivo em comum, o de ser feliz, as religiões tem o de "endireitar" o sujeito transformando-os em meros crédulos, seguindo tradições idiotas que não condizem com a realidade e principalmente com o bom senso.


Portanto, procure desenvolver-se espiritualmente, e isso só dependerá de você mesmo e de mais ninguém, não sendo uma religião que vai lhe dizer o que deve fazer.

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Por que Escrever?





Escrever é uma arte, que através dela é possível ensinar e aprender ao mesmo tempo. 

A escrita é uma forma muito eficiente de expor as ideias. Ainda melhor do que falar, ela pode ajudar a organizar nossa mente, que por sua vez, acabamos por descobrir mais sobre nós mesmos, ou seja, aprendemos conosco mesmo por estarmos remexendo com o conteúdo da nossa cabeça que está lá - todo misturado, e portanto fora de precisão.

Particularmente, dispenso todas as "vaidades" da escrita, não escrevo nada para ostentar algo, como enigmas formados através de mesclas de vocábulos eruditos e tal que acabam por distrair o leitor do real objetivo do texto, porém sem chegar também à palavreados procuro escrever de forma sincera da mesma forma que me expresso naturalmente para com as pessoas, tanto é que tudo que foi escrito até aqui é de experiência própria, eu organizo as minhas ideias escrevendo e com isso aprendo comigo mesmo, acho que ler é tão importante quanto escrever.

A outra vantagem consiste em ensinar as pessoas que leem, às vezes, a pessoa pode não ter determinada informação que contém no texto, é incrível praticamente em toda coisa que lemos existe algo que não sabíamos ou até mesmo que caiu em esquecimento e foi útil relembrar. Também é interessante que tomemos conhecimento de outras ideias, isto estimula o respeito aos outros e a criatividade.

A mensagem que gostaria de deixar é a de que pratique sua leitura assim como a sua escrita, você vai organizar suas ideias, procurar tomar conhecimento das coisas e isso só lhe trará benefícios. 

sábado, 6 de agosto de 2011

Esperançosas Divergências





Se você discorda de algo ou mais do que isto, se você senti uma sensação de estranheza quanto ao seu convívio, pensar diferente dos demais, é um sinal, significa uma coisa muito boa. Não se obrigue à nada que não queira pelo simples fato de que a maioria pensa como e segue uma tradição qualquer.

Pensar diferente da maioria, de modo um tanto quanto revolucionário é um ótimo indício. Isso deve ser valorizado, pois é algo precioso, raro nas pessoas. Então não se chateie ou muito menos ignore seu novo e transformador modo de agir e pensar.

Diante de uma forma diferente de se pensar devemos aumentar as nossas esperanças, até por que o mundo necessita de tais mudanças, então toda ideia nova vai ser de utilidade.

Particularmente, já acabei por me acanhar em certos momentos as minhas atitudes por parecer diferente demais do comum, mas essa é a ideia: Ser diferente.

Então devemos não somente expor aquilo que temos de novo, mas também nos esforçar para criar coisas novas. Afinal como disse: O mundo precisa de mudanças!

Isto tudo quer dizer que ser "incomum" é ser o futuro!

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

O Povo É Quem Decide





É uma unanimidade em qualquer livro de história - ela sempre foi decidida pela massa. O povo é quem tem a atuação principal, porém não tem consciência disso.


Essa falta de consciência acarreta em equívocos, dos quais o principal fator prejudicial é a sua fraqueza, tornando-se presa fácil para os ditadores do regime de escravidão.


Isso quer dizer que só podemos ser escravos se escolhermos ser isto, o controle está em nossas mãos, Jean-Jacques Rousseau já dizia: "O homem deve ser senhor de si mesmo."


Não é necessário que tenhamos pessoas que nem se quer nos conhecem decidindo por nós, pessoas das quais estão sempre inacessíveis, e que portanto eles não nos conhecem e nem vão nos conhecer.


Cabe a cada um decidir se vai ser um escravo ou um homem livre. Imagine a seguinte cena:


Hitler ordena ao seu soldado a atirar em uma criança por ela ser judia. O soldado responde:
- Não farei isto senhor!
- Mas, com... mas o quê!?(Hitler perplexo)
- Como ousa responder dessa forma soldado?
- Não farei isto senhor, por que trata-se apenas de uma criança indefesa que nem se quer tem consciência dos problemas que os homens procuram inventar, portanto não farei isto senhor!
- Basta!
- Para mim também basta senhor! Não obedecerei o senhor jamais. 
- Tudo isto aqui é ridículo, a minha intenção era de entrar no exército e servir ao meu país, ou seja, ajudar as pessoas e não assassiná-las.
- Chega! Homens levem-no daqui!
- Não podemos levá-lo senhor!(Outros soldados)
- O que está acontecendo aqui?(Hitler ainda mais perplexo)
- Também entramos no exército para proteger as pessoas e não para fazer o contrário.


A partir do ocorrido todas as pessoas tomaram o seu devido lugar, o da liberdade.

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

O Comércio Da Vida



Qual é o valor da vida? Pois é, hoje toda vida tem um preço. Então pergunto-lhe: Quanto vale sua vida? 


Bem, para mim a vida tem um valor inestimável. Por outro lado, sendo este a realidade, não é o que vemos na prática, enquanto ocorre de pessoas serem "medidas" de acordo com o seu capital, o que garante ou não chances de se tratar de determinadas doenças, ou seja, o que há é um comércio de vidas no que diz respeito aos hospitais, mais uma vez aqueles que têm o seu poder aquisitivo estão na frente, na frente de pessoas que precisam tão mais do que eles de no mínimo um atendimento, e assim vidas entram para um comércio tendo seus valores estimados pelo mercado, é como um leilão da vida humana, quem é que dá mais? Último lance! Até que subitamente batem o martelo, que definem as vidas das pessoas.


Esta também é uma forma de banalização da vida praticada a tanto tempo e que merece sua devida atenção. 


O fato é que o comércio direto da vida como outros tantos não devem existir. Não deve ser considerado normal isso tudo. 

terça-feira, 2 de agosto de 2011

Inutilidades Elevadas À Relevância



O que tem de coisas inúteis por aí não é brincadeira. E o pior é que elas são organizadas, mais especificamente quanto aos partidos políticos por exemplo. As questões são simples: Pra que servem os partidos políticos? Qual é importância da sigla de um partido?


A respostas seriam respectivamente: Para com o povo não serve para nada! E sigla é apenas uma nomenclatura, não significando que um partido que tenha no nome "social" que ele seja social de verdade. Entende essas coisinhas? Parece óbvio, mas não é o que todas as pessoas pensam. 


Como disse, para com o povo partidos não servem para nada, uma vez que estes estarão na melhor das hipóteses considerando primeiramente seus próprios interesses em vez de suas ideologias. No fim das contas sempre haverá uma maça podre, que por sua vez "contaminará" outras próximas à ela. Então por qual razão não simplificar? Escolher apenas os líderes que merecerem e não obrigatoriamente seus colegas para eles e para nós.

Então, toda essa coisa de partido é totalmente inútil, não devendo assim existir. Agora é necessário que exista líderes políticos, o que é ao contrário útil.


Este país precisa de muitas coisas, porém uma reforma política seria muito bem considerada URGENTE! 


No fim das contas sempre haverá uma maça podre, que por sua vez "contaminará" outras próximas à ela.