Só falta você!

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Monstros Defendem Monstros





Muitas vezes que a profissão de advogado foi retratada como diabólica e não foi à toa, pois o mau uso dela pode transcender os limites da justiça. 


É evidente que minha leve crítica não direciona-se à todos os profissionais desta área, tampouco para a área em si, ainda vejo condolência por quem defende um injustiçado, porém quanto aquele que exerce o direito para salvar os podres, estes sim não fazem "direito".


Sei bem que é complexo fomentar a respeito, sobretudo porque os tribunais surgiram outrora, ainda na Roma antiga, daí a herança que enraizou-se até os dias de hoje. Haja vista que muito tempo se passou e as pomposas tradições insistiram em permanecer, salvo para a ridícula peruca branca que os juízes usavam para transporem respeito. Em contrapartida ficaram os duelos advogado x advogado, advogado x promotoria. 


Ocorre que a essência desta profissão perdeu-se junto ao modelo capitalista de vida, onde não valem mais justiça por justiça, mas o que pagar mais é quem definirá a melhor defesa.


O advogado desde sempre pôde optar por respeitar o que é moralmente correto ou não, e é aí que mora o perigo, se um advogado for capitalista e principalmente desumano, ele ignorará os preceitos morais e defenderá um monstro como ele próprio. Para mim, quem protege o mal é o próprio mal. 


Banalizou-se o termo "eu tenho direito a um advogado!", entendo que cada acusado tem condições de fazer sua própria defesa, imagine se esta tradição fosse trazida para fora do juízo: sua mãe lhe acusa de quebrar o vaso favorito dela, e ao invés de defender-se dizendo o que é vero ou não, você diz "eu tenho direito a um advogado!". Isso não se encaixa, é ridículo!


O mais preocupante é que tão trivial quanto o supracitado termo é a injustiça, todos já sabem que a justiça não é feita em tribunais, está descaradamente exposto na nossa frente. E por essa razão somos forçados a fazer justiça com as próprias mãos.


Precisamos nos libertar das inúmeras tradições que permeiam a sociedade, o que valeu para o mundo antigo não vale mais para o atual, pois o mundo muda e nesse processo as tradições morrem.

2 comentários:

  1. Bom, pretendo me formar em direito e depois fazer a prova da OAB para ser Advogada , mas eu sou totalmente contra a defesa de criminosos! Irei defender só pessoas de bem, injustiçadas! hehe Mas sua visão critica esta certa, se tratando de uma parte dos profissionais. Beijos // www.spiderwebs.tk

    ResponderExcluir
  2. Oi querido,

    Adorei a sua análise! Sou advogada e nunca me adaptei a esse modelo. Odeio aquela frase: para os amigos a lei, para os inimigos o rigor da lei. Penso que a justiça é uma raposa em pele de cordeiro para justificar o erro, mas pode ser o habeas corpus para o injustiçado. Enfim, caminhar e tentar viver com ela.

    Parabéns pela análise detalhada! Beijos e bom final de semana!

    Lu

    ResponderExcluir

Não sou o "dono da verdade", portanto, estarei sempre disposto a ouvi-lo(a)...