Só falta você!

sábado, 10 de março de 2012

O Que Eu Quero Não Tem Nome





Eu não sei dizer exatamente, em palavras claras e objetivas o que quero! Mas uma coisa eu sei; eu quero algo! Embora não possua um nome.

Talvez, está dúvida paire sobre minha cabeça devido aos meus desejos serem muitos e imensos. O fato é que é impossível definir o meu querer em uma palavra. E se isso já está indecifrável para mim, certamente isso justificará a incompreensibilidade do mundo em relação a mim. Pois então, dou seguimento e puxo as rédeas deste escrito para ver se até o seu fim chego a alguma conclusão, como de costume... 

Seria o cúmulo entre os clichês querer a "paz mundial", mas é disso que o mundo precisa mais, indubitavelmente. Logo, isto tornou-se um clichê porque ele não é de hoje, ou seja, há muitos que o mundo atravessa crises de violência dos mais variados tipos, níveis e infelizmente não posso mais dizer que são inimagináveis. Deus que nos livre!

Bom, mas ainda é algo mais do que a tal "paz mundial" o que quero. O meu anônimo desejo também não é viver num mundo perfeito, porém é viver em mundo melhor, o que os pessimistas chamam de utopia, e os realistas chamam de superior. Já pensou em ser livre? Estou falando de ser livre de verdade! Isto é, ir para onde quiser e quando quiser! Não é tão difícil assim, basta que todos pensemos feito os semelhantes que somos.

Com certeza a liberdade é a maior regalia da natureza. Quiçá, o meu maior e anônimo desejo seja ser livre de verdade. Não trata-se de querer isolar-se do mundo, mas este mundo age da forma dele próprio e temos de nos submeter ao seu comando, e tudo isso nos bloqueia, prende-nos, e acabamos vivendo uma vida limitada à nossa real natureza. Aqui, nossa liberdade é tão insignificante que não podemos se quer ser o que queremos, porque o mundo nos diz : Não! Você não pode!

Por fim, acredito que a conclusão que gostaria de alcançar era essa: Demonstrar a mim e a todos o que não temos e merecíamos ter de verdade, sem hipocrisia.

6 comentários:

  1. Anselmo, realmente merecemos o melhor, uma vida em abundância. Que adianta querer e proclamar a paz mundial se no nosso interior nao temos paz? Que adianta lutar pela liberdade, se somos cativos dos nossos medos e frustrações?
    Precisamos sim começar a ser livres em nós mesmos! E desejos cada dia queremos um diferente, basta ter o primeiro realizado... Mas isso é outra história.
    Beijokas doces!

    ResponderExcluir
  2. Eu nunca fui idealista assim, em querer ou acreditar em uma paz mundial, não sei, eu não penso em coisas grandiosas enquanto ao meu redor pode estar tudo desmoronando.
    É isto que penso, se eu não começar de onde estou, mesmo que em pequenos passos, como poderei almejar algo tão inatingível para mim?
    A liberdade é muito relativa, acredito que nem todos conseguem fazer ou ser cem por cento daquilo que desejam, pois todo lugar tem suas leis, regras e o velho clichê, porém, real, da minha liberdade terminar onde inicia a do outro.

    ResponderExcluir
  3. "Você não pode", realmente é o que o mundo nos diz, e devemos obedecê-lo se quisermos nos dar bem. Caso contrário...
    Bom, a liberdade, já não temos. Também gostaria de um mundo melhor. Mas aí vem fatores humanos: orgulho, egoísmo, que todos nós temos um pouco. Daí gera brigas, repreensões, e vários outros fatores que afetam a liberdade que você cita. Pela natureza humana, acho que essa liberdade nunca será alcançada.
    Abraços

    ResponderExcluir
  4. Oi Anselmo,

    Tudo bem? Texto que traduz a liberdade de expressão e condições que todos deveriam se permitir a sonhar. Ser livre é como um pássaro em voo que nunca será a nossa partida.

    Beijos.

    Lu

    ResponderExcluir
  5. Boa tarde, Anselmo.
    Somos por natureza incompletos e passamos toda nossa vida buscando a felicidade, mesmo sabendo que ela pode vir a nos escapar no segundo seguinte.
    Acho que a liberdade consiste em se fazer aquilo que se quer sem prejudicar mais ninguém.
    Se conseguirmos isso, já está muito bom.
    Abraço, Anselmo.

    ResponderExcluir
  6. Cara como cronista devo dizer que tb adorei este teu texto, assim de relance ate parece com uns que criei e que irão fazer parte de meu novo livro "Aberta a temporada de caça a realidade - (Poesias, cronicas e outros escritos)" mais informações: http://guardioesdaluznegra.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Não sou o "dono da verdade", portanto, estarei sempre disposto a ouvi-lo(a)...