Só falta você!

sexta-feira, 27 de abril de 2012

O Fanatismo



O fanatismo é uma doença muito grave. Originada pela ignorância, ela pode levar o indivíduo ao pior grau de cegueira.


Bem, podemos citar três das principais vertentes do fanatismo, sendo elas: a religiosa, a desportiva, e a patriótica.


Talvez o fanatismo religioso seja o mais claro de todos, visto que existem muitos religiosos pelo mundo, e em toda parte eles são extremamente inflexíveis para com os questionamentos quanto à sua religião, e ainda mais preocupante do que isso é a ação do fanatismo religioso no mundo árabe, onde existe o chamado "Jihad" que, por sua vez, é um conceito islâmico que literalmente significa "empenho" e não "Guerra Santa" como assim chamam as mídias. Ou seja, compreende-se que o Jihad é uma luta pessoal, onde o indivíduo busca a "fé perfeita", porém esta crença excessiva, faz com que as pessoas explodam-se em locais públicos, matando inocentes em nome de uma religião.


Já quanto ao esporte, temos uma outra forma de fanatismo. Neste caso, os extremos praticados pelos fanáticos coincidem com a religião em violência, mas ainda não em número, pois as religiões ainda matam mais do que as torcidas rivais enfrentando-se. 


Todavia, analisando a nível nacional, é evidente que a crença religiosa no Brasil não é tão mortal quanto a árabe, logo o maior prejuízo que o fanatismo religioso pode acarretar num país como o nosso é a alienação das pessoas, entre outros golpes financeiros.


Resta o fanatismo patriótico que, gera nas pessoas aquele ardor por defender, vociferar o hino, ou honrar às cores de sua pátria, sendo que para este se realizar, necessita sempre de vencer alguma nação alheia à nossa própria. Lembrando que o mesmo furor das religiões e das torcidas também vale para o patriotismo.


Em suma, gostaria de encerrar com a mesma mensagem da qual me introduzi, isto é, enfatizando o quão ruim é o fanatismo, que como qualquer doença merece ser tratado.


O principal sintoma do sujeito fanático é a sua cegueira para com o que está ao seu redor, e  que o faz agir impensadamente.


Não importa qual deles seja o mais maléfico, mas sim o fato de que não devemos permitir que o fanatismo nos domine. Não exceda-se jamais, não seja fanático por nada, liberte-se do fanatismo!


Você percebeu que em todos os exemplos citados de fanatismo, havia algo unânime entre eles? É a violência, pois ele em todas as suas diretrizes é o fundamental causador de toda separação e hostilidade no mundo.
    

7 comentários:

  1. Ola´, boa noite de sábado; li atentamente o texto, é óbvio que o fanático é um "estúpido, sim; e o que o impele ao "exagero é a ignorância, ou a doença mental, é isso "um fanático é doente e pode cometer loucuras...
    Porque não há como debater ou argumentar com alguém psicótico; é isso que pensa pelas experiências de vida.
    Beijos pra ti, de Mery*

    ResponderExcluir
  2. Oi Anselmo,

    Tudo bem? Tenho medo do fanatismo não só pela miopia, mas pelo fato que ele pode ser um agente de revoltas e visões paralelas que não levam a nada.

    Ótimo texto!

    Beijos.

    Lu

    ResponderExcluir
  3. Para mim, toda visão radical deve ser observada com cuidado, pois não é saudável e só tráz malefícios!!!!! Além de ser extremamente apelativo, tbem! Claro...

    Muito bom seu posicionamento.

    bjks :)

    ResponderExcluir
  4. Hey man, salve! Defender ideais ou uma crença de forma desmesurada e incontrolável é uma das piores psicopatias em minha opinião. Pois torna-se uma ameaça a outrém além do próprio indivíduo, como bem enfatizou em teu texto, que por sinal foi muito bem contruído...
    Um abraço ae.

    ResponderExcluir
  5. Olá Anselmo, obrigada pelo seu comentário lá no Razão e Resenhas.
    Por favor me envie seu email, para que eu possa te falar melhor sobre como lido com as parceria entre autores e meu blog.
    Obrigada novamente querido, terei imenso prazer em ler seu livro .\o
    Viviane
    Razão e Resenhas

    ResponderExcluir
  6. Vejo o fanatismo quando o raciocínio se aprofunda tanto que que abandona a própria razão. É o radicalismo incorporado.
    Pensando no nosso Brasil amado, vejo que o fanatismo religioso de alguns dos evangélicos vem tomando proporções preocupantes. Se pudessem eles traziam a inquisição de volta!

    ResponderExcluir
  7. Boa tarde, Anselmo.
    O fanatismo em si é sinônimo de ignorância.
    Tudo bem termos nossas convicções, mas quando elas extrapolam o limite do racional e tornam-se violência desmedida, a´já virou fanatismo.
    Abraço, Anselmo.

    ResponderExcluir

Não sou o "dono da verdade", portanto, estarei sempre disposto a ouvi-lo(a)...