Só falta você!

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Os dois principais problemas do mundo atual


Nossa! Ante a um mundo imbuído de embaraços como é esse, não é tarefa simples selecionar os dois problemas mais aflitivos da humanidade. No entanto, eu escolhi pontuar acerca de dois tópicos que provavelmente você se identificará: a violência e a miséria.


Iniciando pela violência que por sua vez varia muito de grau, entre as suas diversas estirpes, digo que as armas de fogo são os inventos humanos mais catastróficos. O que contraria o que muitos pensam ser a imprensa a maior invenção da humanidade, sendo que em análise, fora o primeiro disparo de arma de fogo que revolucionou o mundo como nunca antes.


Os revólveres, as pistolas, os rifles, as metralhadoras, as armas de destruição em massa e assim evolutivamente, representam a maior violência existente do homem para com o homem. Tão imensa quanto essa violência, é a sua covardia, pois diferente da era medieval em que os homens pelo menos digladiavam entre si usando espadas, hoje eles são banalmente mortos desde esquinas até o lado de dentro de suas próprias casas. Ou seja, não há como se defender de um projétil vindo em sua direção, logo, isso faz da arma de fogo o objeto mais poltrão de todos, este é portanto o instrumento de maior violência, e para piorar ela ainda é agravada pelo fato de estar acessível às mãos de qualquer um.


O poder de fogo é o maior atentado contra a vida humana. Pois que dizimem essas malditas armas ou acabaremos dizimando a nós mesmos, desde as bombas atômicas até o revólver de calibre mais delgado, desde as ogivas nucleares até as munições.


Já a miséria está revestida pelo regime socieconômico. Isto é, engana-se quem pensa que a miséria é um mal inevitável, pois a causa deste mal é o sistema capitalista global, à qual a grande maioria dos países são coniventes.


Sem esquecer que, essas mesmas armas estão completamente conexas com o regime capitalista, uma vez que são usadas para roubar ou para "se proteger" do roubo. 


É o capitalismo que permite que algumas pessoas vivam sob um estilo exagerado, ao passo em que os outros não possuam nem o que comer. 


O capitalismo é um regime de escravidão, cujo princípio básico é a exploração do homem pelo homem. A sua expressão mais canalha a define muito bem: "Manda quem pode e obedece quem tem juízo."


Dentre muitos outros, estes são os problemas que de longe mais assolam a humanidade. Mas de que serve apontar duas coisas que já estamos fartos de sofrer, às vezes através dos boletins, às vezes na própria pele. Contudo, se há duas grandes complicações, elas têm de ser enfrentadas. Logo, assim como há causas, há os causadores. Portanto, deve haver um trabalho conjunto, onde todos concentrem os esforços no bem comum. Deixemos de lado por um instante os entretenimentos, sejamos menos hipócritas. Chega de mentir para si mesmo. Não espere que um desses males lhe afete diretamente para se comover. 


Lembre-se de que sempre é possível contribuir de alguma forma, altere o meio em que você vive de modo que ajude a exterminar cada um destes males. Afinal, a maneira com a qual o mundo funciona hoje é uma força resultante de uma soma de impactos individuais.


Concluindo, se temos dois grandes problemas para enfrentar, eis que se seguem em ordem de importância: as armas de fogo e o capitalismo.

8 comentários:

  1. Esta revolução começou com a descoberta do da divisão átomo e a descoberta da pólvora. Os dois fatos mais importantes para a violência.
    Qualquer regime deixa a pessoa no escravismo, e ao contrario ria bagunça.
    A miséria aqui no Brasil, existe porque seus governantes não podem viver sem ela. Eles querem a dependência dessas pessoas. São votos fáceis.
    O que poderia ser feito seria uma política de um mandato só. Cada pessoa só poderia ser eleito uma vez para cada cargo. Uma vez prefeito, nunca mais prefeito.
    Cada pessoa poderia ser uma vez veriador,
    uma vez prefeito,
    uma vez deputado estadual,
    até . . .
    caso perdesse uma eleição estaria eliminado da carreira política. Assim não criaria raízes e ele não pensariam que são donos do Brasil. A roubalheira seria menor.
    Beijos!!

    ResponderExcluir
  2. Olá, Anselmo.
    Nunca sequer me passou pela cabeça a ideia de possuir uma arma de fogo em casa, já que não seria capaz de usá-la contra outro ser humano; e, quanto ao nosso mundo capitalista, só compramos algo se assim o desejarmos, ninguém pode nos obrigar a encher a casa de tralhas modernosas inúteis (se bem que tem gente que faz isso, por insegurança ou futilidade).
    Abraço.

    ResponderExcluir
  3. ". . .Coisas são só coisas,
    serem só para tropeçar. . ." música de Chico César.
    Beijos!!!

    ResponderExcluir
  4. O Anselmo,

    Tudo bem querido? Tenho um pensamento diferente sobre essa questão, pois o capitalismo tem as particularidade no desenvolvimento. E quanto as armas, passo longe e nunca irei possui, aliás, muita coisa não quero possuir.

    Lu

    ResponderExcluir
    Respostas

    1. Olá Lu, é sempre um prazer tê-la aqui.

      Bem, quando você fala em desenvolvimento, o que lhe vem à cabeça? Crescimento das metrópoles e demais cidades, tudo cresce no capitalismo, exceto o ser humano. Pois, a via de sustentação deste sistema é precisamente o indivíduo alienado, isto é, aquele que não sabe distinguir-se como igual e por isso, acaba servindo a outro homem. Então, o mais grave de tudo isso, é que o homem ao obedecer, ou seja, vender-se para o capitalista, ele estará tornando-se cumplice do burguês que estará provocando o que estamos fartos de saber: desigualdade social que, por sua vez, implica num grande emaranhado de manobras a fim de manter o trabalhador estúpido, como por exemplo, é o caso claríssimo do ensino público precário.

      Excluir
  5. Anselmo,queridão!
    Tudo bem?

    Concordo totalmente a respeito das armas de fogo.
    Quanto ao capitalismo, toda vez que se fala em capitalismo, sempre me vem a imagem da bandeira do Brasil na minha mente, aquela história do 'ordem e progresso', que na verdade, nas entrelinhas é: 'ordem ao povo e progresso para elite', e assim 'funcionam' as coisas.

    Tenho apenas um complemento a fazer quanto ao capitalismo, talvez estendendo um pouco a ótica, pois creio que de qualquer forma o ser humano inventaria um sistema muito parecido com o capitalista, caso esse não existisse, me parece inevitável, porque penso ser inerente do ser humano inserido num contexto social: a ganância, a competição. Essa história de se comparar ao vizinho, pode ser desde os tempos das cavernas. Quem garante que o cara que trazia a melhor caça não era bajulado, em detrimento dos que não conseguiam o mesmo resultado? Fica aqui a reflexão.

    Beijos e ótimos dias!

    ResponderExcluir
    Respostas

    1. Olá Cissa! Está tudo bem sim, obrigado. E com você?

      Sim. É verdade que o ser humano é imperfeito. Portanto, trazer o socialismo e o anarquismo, não irá solucionar absolutamente todos os problemas humanos como num passe de mágica, transformando o mundo em um lugar perfeito, aliás, nem é essa a proposta. O que fomento é que os modelos socialistas e anarquistas são os mais viáveis para o convívio da sociedade humana. Onde através do socialismo, não seria possível o homem esbanjar, viver dos luxos enquanto que os outros passem fome. À mesma medida que a anarquia traria a igualdade de poderes entre as pessoas. Imagine um mundo sem ricos e pobres, ou sem reis e presidentes? Seria maravilhoso. E Cissa, isso só se torna possível quando todos nós acreditarmos.

      Excluir
    2. Anselmo,
      estou bem, obrigada!
      Vim aqui ler tua resposta e também indicar o blog de um amigo, o Almir Ferreira, para tua leitura naqueles momentos em que tiver um tempinho, é um dos blogs mais inteligentes aqui da blogosfera, em minha opinião,e acho que você vai gostar, neste link:
      http://ramanavimana.blogspot.com.br

      Beijos, queridão!
      PS.: Concordo com teu pensamento acima!

      Excluir

Não sou o "dono da verdade", portanto, estarei sempre disposto a ouvi-lo(a)...